Entrevista sobre metodologias ágeis (II)

Arquitetura

Modelagem da arquitetura de uma casa

Olá, jovens!

Dando continuidade ao post anterior, coloco logo abaixo a segunda parte da entrevista com o agilista Wagner Santos.

OJ – E a arquitetura do sistema, como fica?
WS –
Essa é uma questão polêmica e que gera muitas dúvidas para quem está iniciando no mundo ágil, principalmente para as pessoas que estão em transição de um método como o Waterfall para o Ágil.

Quando o time de desenvolvimento vem do Waterfall ou até mesmo do RUP, que é um método que descreve os artefatos necessários para se documentar a arquitetura do projeto e propõe um modelo “big design up front”, ou seja, força o time tentar imaginar e fechar todos os modelos no inicio da execução do projeto.

Em processos ágeis isso acontece de forma natural e evolutiva, uma das práticas do XP, o “Simple Design” ou “Design Simples” nos diz para mantermos o nosso design o mais limpo e simples possível, e não tentar imaginar funcionalidades que o sistema possa vir a ter, e preparar o sistema para estes prováveis cenários. Isso foge completamente do modelo ágil de gerir projetos.

Independente do modelo que você segue, o seu sistema obviamente será construída baseada em uma arquitetura, e em toda metodologia é muito importante você fazer o planejamento da sua arquitetura, a diferença é que em métodos ágeis devemos sempre respeitar a maturidade atual do projeto de modo que quando houver mudanças ou adição de novos requisitos do negócio, fique fácil refatorar o sistema, levando sempre em consideração os requisitos de qualidade de serviço (QoS) conhecidos por todo arquiteto.

OJ – Como fica o contrato? Não há prejuízos para a produtora, uma vez que o cliente altere constantemente o que foi inicialmente solicitado?
WS –
Acredito que não, um dos valores do manifesto ágil diz que a colaboração com o cliente é mais importante do que a negociação de contratos, por que isso? Se olharmos para a maneira como as empresas negociam os contratos de software com as consultorias, veremos que esta é uma eterna luta. Porque as empresas adotam o modelo de “Preço Fixo” e para uma consultoria entrar em uma empresa, ao formular uma RFP ela acaba colocando valores que muitas vezes ela mesma sabe que pode tomar um prejuízo, mas o faz para ganhar o cliente.

Este tipo de contrato é ruim, pois passa a maior parte do risco para o desenvolvedor, se o projeto atrasa, o consultor arca com os custos, o que dificulta (e muito) mudanças de escopo.

Um modelo de contrato que achei muito interessante é o modelo “Money for Nothing, Changes for free” proposto por Peter Stevens em http://agilesoftwaredevelopment.com/blog/peterstev/10-agile-contracts#MFN-cff.

OJ – Qual o maior benefício (a longo ou curto prazo) que um funcionário (desenvolvedor, tester, analista, etc.) obtém quando se compromete a seguir uma proposta ágil?
WS –
Desenvolvedores geralmente gostam de agile, porque os métodos são voltados para times auto-gerenciáveis. Modelos ágeis dão uma liberdade maior aos membros do time, então acho que o maior benefício é o próprio bem-estar do time. Sem falar dos ganhos da empresa como a melhoria contínua da qualidade, redução do risco de entrega e do time to market, aumento da visibilidade do projeto, entre outros.

OJ – Pode haver um Scrum Master e um gerente de projetos?
WS –
Sim, diversas empresas possuem departamentos de Gestão de Projetos, porém, é recomendado que durante a execução do projeto apenas o Scrum Master tenha contato com o time, até para não gerar um desconforto ao time.

OJ – Como ser um Scrum Master?
WS –
Na minha visão, para ser um Scrum Master é preciso antes de tudo saber lidar com pessoas, isso é fundamental, além disso, precisa ser uma pessoa comprometida e responsável, que entenda os requisitos do negócio e as necessidades do time.

Tem que ser uma pessoa humilde, e que saiba influenciar a equipe de maneira positiva, com uma cultura de colaboração.

Sim! Sim! Sim! Pessoal, ainda tem mais uma parte. A entrevista ficou muito grande. Mas ficou muito boa! Aguardem!

Anúncios

, , , ,

  1. #1 por Giovanna em sexta-feira, 30/07/2010 - 16:03

    Parabéns meu anjo!! Pelo belo trabalho…
    adorei o seu blog.. Muito bacana!!!
    muitas informações legais…
    ta maravilhoso..
    Beijo grande !!
    com carinho,

    Giovanna

  1. Entrevista sobre metodologias ágeis (III) | .Orlando Junior
  2. Os números de 2010 « .blog do titio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: