Entrevista sobre metodologias ágeis (III)

SCRUM

SCRUM

Olá, jovens!

Aqui vai a terceira e última parte da entrevista sobre metodologias ágeis com o arquiteto e desenvolvedor Wagner Santos, instrutor da Globalcode.

OJ – Em XP, é possível também programar com três, quatro, cinco, …, pessoas?
WS –
Em pair programming? Não, sem condições, se houver algum case de sucesso eu gostaria de ver. Já é dificil convencer um gestor a aceitar pair programming,, mais do que isso vira bagunça hehe..

OJ – Como as empresas do Brasil estão aceitando a XP?
WS –
Hoje em dia é moda falar de Agilidade no Brasil, principalmente no meio dos desenvolvedores. O que vejo é que é um assunto muito falado, mas pouco aplicado.

XP tem sido assunto em roda de conversa de desenvolvedores durante muitos anos, e o que acaba sendo feito neste sentido são movimentos individuais de desenvolvedores que aplicam algumas práticas do XP de maneira isolada, principalmente TDD.

Com o advento e a popularidade do SCRUM, pessoas de outras esferas nas empresas estão começando a olhar agile de maneira diferente, e tem havido uma grande aceitação neste sentido, então acho que isso tem sido bom para XP também.

OJ – Dê algumas dicas de boas práticas àqueles que estão iniciando.
WS –
A melhor dica que posso dar é a mesma que dou em minhas apresentações quando sou indagado. Que é estudar, e tentar se manter bem informado sobre o que está acontecendo no mercado. É impressionante o que você consegue fazer com os feeds dos websites, busque os melhores sites e agregue-os em ferramentas como o Google Reader ou outro leitor de feed qualquer, isso potencializa muito o conhecimento.

Participe de lista de discussões, veja cases de implantação de sucesso e de insucesso e buscar ler o máximo que puder sobre o assunto.

OJ – Uma mensagem.
WS –
Faça uma prova de conceito, e se possível procure implementar ao menos uma prática ágil. Uma dica que dou é sempre que possível, traga o cliente para o lado do desenvolvimento, se você puder fazer com que seu cliente avalie o produto que você está desenvolvendo semanalmente ou até de 15 em 15 dias, você irá começar a ver os ganhos do desenvolvimento ágil.

Ou ainda, vou ir totalmente contra o que acabei de falar, sempre que olhar para o seu processo atual de desenvolvimento, antes de tentar adicionar qualquer prática ou passo novo (menos a que citei sobre o cliente), exclua uma etapa do seu processo. Monte um gráfico de cadeia de valor dos seus processos, e analise o que você pode excluir de passos do seu processo. Se você fizer isso, você já está no caminho de se tornar um grande agilista!

Para ver as outras partes da entrevista, acesse:

Parte 1: Entrevista sobre metodologias ágeis (I)
Parte 2: Entrevista sobre metodologias ágeis (II)

Anúncios

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: